Ser pequeno e pensar como grande

Ser pequeno e pensar como grande

Quando entramos no mercado de trabalho é muito comum ouvirmos a seguinte máxima: “Você tem que se comportar, se vestir e agir de acordo com o cargo que você almeja ter, para que assim as pessoas lhe reconheçam e você se torne em breve aquilo que você deseja”. Apesar de parecer clichê, essa frase define uma filosofia que retrata os objetivos e anseios de empreendedores que desejam fazer com que seus negócios cresçam.

A grande questão em torno dessa perspectiva empresarial é saber como agir, posicionar-se, interagir com clientes e gerenciar uma empresa para que esta cresça. Primeiramente, é preciso frisar que uma pequena empresa não se tornará grande do dia para a noite. Esse processo leva tempo e pode ser comparada à escalada de uma montanha, ou seja, existem diversas formas de se realizar essa escalada, algumas mais eficientes do que outras, no entanto, algumas delas podem fazer sua empresa cair.

O caminho mais seguro para crescer é espelhar atitudes e práticas empresariais de empresas de maior porte que não comprometam a empresa financeiramente tampouco estruturalmente. Sendo assim, os modelos de gestão empresarial são os fundamentos que podem gerar maior impacto nos negócios de uma empresa sem prejudicá-la. É preciso pensar grande, mas lembrar-se sempre das limitações do negócio.

Para pensar em gerenciamento de pequenas “futuras grandes” empresas é necessário abordar o tema gestão financeira integrada. Grandes empresas cresceram com uma visão integrada de negócios, sendo que os aspectos financeiros são essenciais para a ampliação de sua estrutura de negócios.

Dessa forma, destacam-se abaixo algumas ações para micro e pequenas empresas que querem se tornar grandes:

  • Análise de resultados: Sua empresa precisa de parâmetros para saber se as atividades realizadas são eficientes ou não. Muitos gestores focam apenas em resultados financeiros, mas é preciso entender como os processos que impactam na qualidade dos serviços prestados são realizados. Determine padrões, estimativas e estatísticas para que estas lhe sirvam de parâmetro para saber se seus processos são realizados com sucesso ou não, pois eles podem impactar a percepção dos seus clientes sobre o seu negócio.
  • Controle financeiro: Se sua empresa não tem detalhes agrupados de produtos comercializados, serviços prestados, tipos de receitas e despesas, fluxo de lançamentos de contas a pagar e receber, entre outros detalhes, ela não possui controle integrado. Controlar significa ter domínio prático de todos os aspectos que envolvem suas finanças, capacitando o gestor a tomar decisões baseadas em análise das informações apuradas.
  • Visão competitiva: Observe o mercado, entenda os seus clientes e o que eles querem, acompanhe as ações dos seus concorrentes, perceba como as mudanças econômicas, políticas, sociais e tecnológicas impactam o seu negócio. Compreenda e saiba agir para aproveitar as oportunidades e reduzir o impacto das ameaças do mercado.
  • Planejamento estratégico: Para chegar longe é preciso planejar a jornada que sua empresa vai trilhar. Levante as ações que poderão ser benéficas para a sua empresa, crie um cronograma de atividades, antecipe os passos que sua empresa vai tomar para que eles sejam executados de forma eficaz no futuro.
  • Utilize a tecnologia ao seu favor: Conte com a tecnologia empresarial para informatizar sua gestão. Utilize um sistema gerencial dinâmico que fomente a análise de resultados, o controle financeiro e o planejamento empresarial. O mercado conta com softwares ERP voltados para micro e pequenas empresas com ferramentas gerenciais de última geração por um ótimo custo benefício, como o sistema Open Manager.

Faça seu comentário